Há gente assim, com vidas que nunca mais acabam. Seres com a estranha capacidade de se reinventarem mesmo no disparate.
De renascerem sempre, após cada uma das muitas mortes que vão tendo em vida. Tolos, há outros que lhes invejam este castigo como se fora uma gracinha para entreter os amigos nas noites frias de inverno ou nas amenas cavaqueiras de verão. São os tolos quatro-estações, que por desconhecerem a primavera das ideias estão condenados ao outono da mediocridade para sempre.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Passos Perdidos

Daniel de Sá traz-nos hoje aquilo que eu acredito ser uma sentida homenagem a esses muitos ilustres deputados da Nação que, após suada prestação parlamentar sentados num mandato, estendem gulosos o prato a uma nova dose.
Um piedoso, este meu amigo.
Sugere um delicado não, neste soneto admirável.

(R.V.N.)

Em baixo: "Passos Perdidos".
Sete vidas mais uma: Daniel de Sá.



Senhor, ei-lo outra vez apresentado

A quem seus bons serviços não dispense,

Que o seu brilho não há quem o compense

Se falta na assembleia ou noutro lado.


É muito o que se tem sacrificado.

Não julgue que o não creio, tal não pense.

Tantas vezes o diz que me convence:

Bem duro é ser do povo deputado.


Quantos Passos Perdidos, que amor pátrio!

Da fama já passou há muito o átrio!

Outro maior não há quem veja aqui.


E, sempre ingrato, o povo não lhe acode

Ao fardo do poder, com que mal pode.

Merece descansar. Não voto em si.

6 comentários:

mifá disse...

Bem, hoje não leio mais nada.
Que, para me consolar, este chega e sobra!

Rui Vasco Neto disse...

daniel,
olha para isto, fomos despedidos!
e agora?

carmo rosa disse...

A presença do escritor Daniel de Sá é uma cereja para este blogue. Um soneto digno de Eça de Queiroz, com z como diz a D.Mifá.
Cumprimentos a todos.

Anónimo disse...

Daniel de Sá, que bom ler-te!!!

um grande abraço e os parabéns pelo novo rebento!

maya disse...

Rui,
Parabéns! o "setevidascomosgatos" marca, e bem, a diferença no mundo da blogosfera.
cada passagem que faço por aqui é, sempre, extremamente gratificante. O meu obrigada.por cada palavra, cada post, cada colaboração, cada comentário (principalmente os hilariantes da Mifá) a todos os que por aqui passam, sem excepção, a todos um bem hajam.
grande abraço,

Daniel de Sá disse...

Obrigado. Vocês dão-nos mimos, e depois a gente tem dificuldade em calar-se...
Rui, não te preocupes. Se for preciso, havemos de pedir asilo afectivo a esta gente tão amiga.