Há gente assim, com vidas que nunca mais acabam. Seres com a estranha capacidade de se reinventarem mesmo no disparate.
De renascerem sempre, após cada uma das muitas mortes que vão tendo em vida. Tolos, há outros que lhes invejam este castigo como se fora uma gracinha para entreter os amigos nas noites frias de inverno ou nas amenas cavaqueiras de verão. São os tolos quatro-estações, que por desconhecerem a primavera das ideias estão condenados ao outono da mediocridade para sempre.


terça-feira, 22 de abril de 2008

Um dia todas as coisas serão assim, práticas e funcionais. É o progresso, estúpido!

5 comentários:

Margarida disse...

Caro RVN, se tirasse a vírgula no título, seria mais correcto, porque o progresso, neste caso do sexo, é mesmo estúpido. Digamos que há limites para tudo, não concorda? Veja-se o caso do gajo que era gaja e que vai parir em Julho ...

sinhã, a. disse...

Será que serão? Será mesmo que já não são?:-)

Rui Vasco Neto disse...

margarida,
bem visto, não poderíamos estar mais de acordo; de resto, a ironia do post questiona se não é mesmo o fim da linha para a decência da espécie...

sinhã,
ão ão? ah ah? será? serão? seja bem aparecida, que nada lhe falte aqui.

samuel disse...

Fizeste-me lembrar da moçoila que entrou num destes bancos, com um ar assaz afogueado e decidido... diz-lhe a enfermeira "Ó menina, olhe que aqui é o banco de dadores de esperma!" e ela, acenando com a cabeça, muito afirmativamente, "Humm, humm!!!"

Anónimo disse...

Já não vais ao Aspirina, mas inspiras-te nos posts da susana? Olha que se não é, parece!