Há gente assim, com vidas que nunca mais acabam. Seres com a estranha capacidade de se reinventarem mesmo no disparate.
De renascerem sempre, após cada uma das muitas mortes que vão tendo em vida. Tolos, há outros que lhes invejam este castigo como se fora uma gracinha para entreter os amigos nas noites frias de inverno ou nas amenas cavaqueiras de verão. São os tolos quatro-estações, que por desconhecerem a primavera das ideias estão condenados ao outono da mediocridade para sempre.


quarta-feira, 19 de março de 2008

A verdade sobre a morte do principe


Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry era o terceiro filho do conde Jean Saint-Exupéry e da condessa Marie Foscolombe. Não foi por isso que ficou para a história, mas sim por ter sido um escritor brilhante, capaz de criações intemporais e eternas como 'Le Petit Prince'(1943), seu destaque maior, ou 'Vol de Nuit'(1931), outro clássico. E também pelo mito que envolveu o seu desaparecimento a 31 de Junho de 1944, voando numa missão de reconhecimento. Os destroços do seu avião foram descobertos recentemente, em 2004, a poucos quilómetros da costa de Marselha. Mas o seu corpo nunca foi encontrado.

Agora, passada mais de metade de um século sobre o dia em que Antoine de Saint-Exupery foi visto pela última vez, entrando no seu avião, alguém vem reclamar a responsabilidade pelo seu desaparecimento. Outro aviador, um ex-piloto da Luftwaffe, Horst Rippert, que afirma acreditar ter abatido o Lockheed P38 Lightning de Exupery nos céus de Grenoble, com tiros do seu Messerschmidt Me109. A história consta do livro 'Saint-Exupery, l'ultime secret', a ser lançado brevemente, segundo nos conta Fernando Venâncio, aqui. Existe até já um filminho promocional, que pode conferir neste post. Mas o segredo, esse, ficou já revelado.

2 comentários:

Daniel de Sá disse...

Não sei como preferiria que ele tivesse morrido. Mas sei que preferiria que não tivesse morrido.

Rui Vasco Neto disse...

daniel,
também eu, acredita. foi uma das minhas grandes inspirações, saint-exupery. e é um dos mitos, será sempre.